Turismo LGBT no Brasil: entenda a sua importância e oportunidades

A pauta sobre turismo LGBT no Brasil é mais uma vertente que surge dessa imensa árvore que é o mercado turístico nacional.

Essa discussão surge da necessidade de falarmos sobre a inclusão de turistas LGBTQIA+ nos espaços turísticos.

Contudo, para além de uma necessária pauta de conscientização, estamos falando também de uma fonte de oportunidades para empreendedores do ramo turístico.

Você já tinha ouvido falar sobre o turismo LGBT no Brasil?

Qual é a importância da discussão sobre o turismo LGBT no Brasil?

A importância da discussão sobre turismo LGBT no Brasil

17 de maio é a data escolhida como Dia Internacional Contra a LGBTfobia. Essa data relembra um dia histórico, ocorrido em 1990, em que a homossexualidade foi retirada do catálogo de doenças da OMS (Organização Mundial da Saúde).

Nesse mesmo sentido, o dia 28 de junho também é marcado pelas comemorações do Dia Internacional do Orgulho LGBT. Essa data é mais antiga, tendo sido instituída em 1969 com a primeira parada gay dos Estados Unidos, em Nova York.

Essas datas são simbólicas e representam marcos de virada e mobilizações globais que visam deter o preconceito, inclusive no Brasil.

Contudo, apesar de todos os avanços ocorridos ao longo do tempo, segundo o Trans Murder Monitoring (Observatório de Assassinatos Trans, em tradução do inglês), o Brasil é um dos países mais violentos para pessoas transexuais.

Em levantamento feito em 2020, a organização internacional apontou que cerca de 124 pessoas trans foram assassinadas no país por questões relacionadas ao seu gênero.

O mais estarrecedor é que, ainda segundo o Observatório, o Brasil está há mais de 13 anos na lista dos países mais hostis ao público LGBT, já que os levantamentos feitos em 2020 se mantiveram precisos em 2021.

Diante dessas tristes estatísticas, é fácil perceber os motivos pelos quais é importante falar sobre turismo LGBT no Brasil.

Longe de ser um problema apenas para transexuais, o preconceito contra pessoas desse público têm dificultado a implantação de medidas que melhorem as suas experiências turísticas.

Portanto, é importante não apenas discutir, mas indicar os caminhos que os empreendedores do mercado turístico brasileiro precisam percorrer nesse ramo de atuação.

Fórum de Turismo LGBT do Brasil: um marco na propagação do tema

O Fórum de Turismo LGBT do Brasil é um evento anual, criado em 2017, que visa a discussão de medidas para combate ao preconceito.

A última edição aconteceu no dia 30 de Setembro de 2021, e a data para 2022 ainda não está confirmada.

O último encontro reuniu várias personalidades e autoridades ligadas ao turismo e a organizações LGBTQIA+.

Discussões enriquecedoras foram feitas e novidades no setor foram apresentadas.

A realização do Fórum de Turismo LGBT do Brasil é de fato um marco histórico na luta para melhorias do turismo LGBT no Brasil.

Os números desse setor do mercado turístico

Como dissemos no início do artigo, além de uma discussão importante no âmbito da conscientização, falar sobre turismo LGBT no Brasil também é tratar de uma oportunidade de ouro.

Em maio de 2021 a Associação Internacional de Turismo LGBTQ+ revelou em um levantamento que cerca de 60% dos turistas LGBTQIA+ estavam ansiosos para viajar no segundo semestre. Nós estamos ansiosos para saber se conseguiram e como foram acolhidos nos destinos escolhidos.

Aliado a isso, é também informado pela empresa que o turismo LGBT é cerca de 30% mais rentável que o turismo convencional.

Com toda essa potência, estima-se que o segmento movimente cerca de R$ 3 milhões anualmente em todo o mundo.

Isso porque o turista LGBT costuma ser mais ávido por experiências, uma vez que geralmente não têm tantas oportunidades de viajar.

Por tudo isso, é recomendado que você, empreendedor do ramo turístico, procure mais informações sobre como acolher melhor turistas gays, lésbicas, trans, bissexuais e afins.

As cidades brasileiras que melhor acolhem os turistas LGBT

As cidades mais acolhedoras para turismo LGBT no Brasil

Como já era de se imaginar, existem algumas cidades que proporcionam melhores experiências para turistas LGBT.

Vale destacar que em geral os estabelecimentos que orbitam o mercado turístico nacional são bastante acolhedores, não importando a cidade onde estejam localizados.

Entretanto, todos hão de convir que as maiores cidades oferecem mais opções de programas turísticos para pessoas desse grupo.

Como campeãs no acolhimento e integração às disposições do turismo LGBT no Brasil, podemos citar:

Além dessas capitais, existem muitas outras metrópoles e cidades menores que são conhecidas por integrarem boas rotas de turismo LGBT no Brasil.

Que esse bom exemplo reverbere! 

Conheça alguns influenciadores que atuam nesse universo e se inspire nessas histórias

A internet é o grande point para a difusão de ideais acerca do turismo LGBT no Brasil.

E como todo bom assunto, existem muitos influenciadores que falam sobre esse tema nas redes sociais.

Veja abaixo alguns perfis interessantes para se inspirar sobre como fazer um turismo LGBT proveitoso:

Esses são apenas alguns dos maiores influenciadores do turismo LGBT no Brasil. Existem dezenas de outros bons perfis para se inspirar. Aprecie!

O que é preciso para proporcionar um turismo gay-friendly?

Você deve estar se perguntando: “mas o que seria o turismo gay-friendly?”

Essa é apenas uma expressão que define boas práticas de acolhimento e conforto para turistas LGBT.

Para facilitar o seu entendimento, listamos algumas coisas que você pode fazer para adequar o seu negócio e a sua própria mentalidade para a chegada de turistas gays, lésbicas, trans e bissexuais.

Confira:

Vale ressaltar que essas boas práticas cabem em todos os tipos de estabelecimentos do ramo turístico, o que inclui hotéis, pousadas, restaurantes, agências e etc.

Posicione o seu negócio com respeito a essa pauta!

Casal fazendo turismo LGBT no Brasil

Ao ouvir falar de turismo LGBT no Brasil, muitos empresários começam a refletir sobre como se posicionar acerca do tema.

Existem basicamente dois posicionamentos que podem ser adotados nesse sentido: o amigável e o exclusivo.

Para sermos mais diretos, acreditamos que o posicionamento que você deve adotar no seu negócio é o de amigável aos turistas LGBTQIA+.

Criar uma exclusividade pode ser comercialmente nocivo, uma vez que no que se trata de negócios, o ideal é ser abrangente.

Portanto, torne o seu negócio inclusivo sem ser restritivo. 

Lembre-se: discursos e militâncias vazias não resolvem o problema da LGBTfobia, mas as ações sim.

Pratique atitudes repelentes ao preconceito no dia-a-dia do seu negócio. 

Fazendo isso, você colherá as oportunidades que o turismo LGBT no Brasil podem oferecer, além de estar fazendo a coisa certa, ética e humanamente falando!

Como trabalhar com ecoturismo? Veja algumas dicas sobre a profissão e aprenda tudo sobre esse universo!

Assim como as demais áreas profissionais, o setor turístico é multifacetado.

Esse ramo oferece muitas possibilidades e, especialmente em países como o Brasil, também traz diversas oportunidades para quem deseja ingressar na área.

E dentro desse fascinante círculo de conhecimentos que é o turismo, existe o ecoturismo, ou turismo ecológico.

Você conhece esse ramo do turismo?

Ou, quer saber como trabalhar com ecoturismo?

Nós vamos te ajudar!

O que é o ecoturismo?

O ecoturismo é a modalidade do turismo que está focada em visitas guiadas a parques, florestas, áreas montanhosas e outros locais naturais.

Para que o ecoturismo seja praticado, o local visitado deve ser totalmente preservado e o mais selvagem possível.

Por esse motivo, essa modalidade do turismo está totalmente relacionada à preservação do meio ambiente e à sustentabilidade.

Outra grande característica do turismo ecológico é a conexão profunda com a natureza que os turistas experimentam ao longo dos trajetos.

Brasil: destino certo dos ecoturistas

O Brasil é um país extremamente privilegiado em termos de atrativos naturais e áreas preservadas.

Por causa disso, o território brasileiro torna-se um local bastante propício para a prática do ecoturismo.

Segundo dados levantados pelo Governo Federal, só em 2021 mais de 16,7 milhões de pessoas fizeram visitas às áreas de preservação natural federais.

Inclusive, muitos estrangeiros vêm ao Brasil com o único e exclusivo propósito de aproveitar a nossa natureza.

Todo esse sucesso faz do turismo ecológico um celeiro de oportunidades para brasileiros que desejam saber como trabalhar com ecoturismo e sonham em atuar na área.

Ecoturismo e preservação ambiental: dois lados de uma mesma moeda

Quem quer saber como trabalhar com ecoturismo precisa ter em mente que sem a preservação do meio ambiente, não há ecoturismo.

Por isso, antes de qualquer coisa é necessário educar-se nesse sentido.

O governo brasileiro tem empenhado esforços no sentido de estimular o ecoturismo para assegurar também a preservação ambiental.

Entre as medidas, está a de conceder à iniciativa privada o controle de parques e reservas naturais.

Dessa forma, essas áreas recebem uma maior proteção, ao mesmo tempo que o mercado do turismo ecológico se aquece e mais pessoas podem ter contato com a natureza virgem.

A sustentabilidade é um assunto sério e quanto mais pessoas se engajarem nessa luta, melhor.

O que faz um profissional de ecoturismo?

Como trabalhar com ecoturismo de aventura nas cachoeiras
O Guia de Ecoturismo é responsável por conectar o seu grupo com as paisagens selvagens.

O Guia de Ecoturismo precisa lidar com diversas atividades que se completam, visando oferecer passeios realmente satisfatórios.

Esse profissional precisa preparar roteiros, estudar as condições de trilhas, estradas e outros locais, visando a tranquilidade e conforto dos turistas.

Bem como, esse indivíduo precisa ter contato com pessoas nativas das áreas que serão visitadas, pois elas podem ajudar com suporte às atividades turísticas.

Além disso, conforme o passeio avança e a natureza é desbravada, os turistas precisam ser conscientizados sobre a necessidade de preservar a natureza, respeitando animais e plantas que estão no seu habitat natural.

É necessário lembrar que o ecoturismo visa a conexão do ser humano com a natureza, e não a adaptação do espaço natural às necessidades humanas imediatas.

Como eu posso me tornar um profissional de ecoturismo?

Agora, chegou o momento do artigo que você, que quer saber como trabalhar com ecoturismo, tanto esperou.

Depois de entender melhor essa profissão tão necessária e fascinante, leia abaixo os passos básicos para se tornar de vez um profissional de ecoturismo.

Acompanhe!

Antes de tudo, se prepare corretamente

Se você chegou até aqui, significa que tem algum interesse em se tornar um Guia de Ecoturismo.

Nesse caso, o primeiro passo é investir em educação no setor.

Uma ótima opção para estudar o ecoturismo é o curso técnico de Guia Especializado em Atrativo Turístico Natural, oferecido pelo SENAC. 

Esse e outros cursos na área podem instruir corretamente os aspirantes ao setor.

Por fim, vale destacar também que o Guia de Ecoturismo precisa estar em forma, por causa das características da profissão.

Então, antes de mais nada cuide do seu condicionamento físico.

Desenvolva o perfil do profissional de ecoturismo

Assim como em qualquer profissão, o profissional de ecoturismo precisa ter um perfil específico.

Para lidar com pessoas, o Guia de Ecoturismo precisa ser comunicativo, proativo, energético, alegre e amável.

Outro fator bastante importante é o conhecimento aprofundado sobre vários aspectos da profissão.

Os turistas costumam perguntar sobre a história e tradição que envolve a região que está sendo visitada, e o Guia de Ecoturismo precisa saber responder.

Também é esperado desse profissional uma expertise sobre técnicas de sobrevivência, resolver problemas com poucos recursos, comportamento de animais e tudo que envolve um turismo responsável.

Escolha um dos tipos de ecoturismo existentes para ser a sua especialidade

O ecoturismo se divide em três áreas distintas, que abordam aspectos diferentes da atividade.

A jornada de quem quer saber como trabalhar com ecoturismo passa obrigatoriamente pela escolha de uma dessas áreas para se especializar.

Conheça cada uma delas abaixo!

Ecoturismo de observação 

O ecoturismo de observação é a modalidade padrão do ecoturismo.

Nesse tipo de atividade o guia leva os turistas para contemplar a natureza, literalmente.

São passeios de barco, de carro aberto ou a pé, apenas para observar as formações naturais, animais selvagens e plantas.

Ecoturismo de aventura

Como o seu nome já delata, o ecoturismo de aventura é uma modalidade mais radical da atividade.

Aqui, o Guia de Ecoturismo leva o seu grupo para a exploração de matas, descidas de cânions, prática de esportes radicais em meio à natureza, acampamentos para prática de um estilo de vida mais rústico e etc.

Ecoturismo de luxo

Entende-se por ecoturismo de luxo a estadia de turistas em hotéis e resorts em meio à natureza.

Nessa modalidade as pessoas apenas contemplam a natureza, tendo um contato mais direto com ela, mas sem abrir mão do conforto e do lazer.

Se regularize

No Brasil, infelizmente muitos profissionais de ecoturismo não têm o apoio de que precisam, e por isso trabalham na informalidade.

Porém, para trabalhar com ecoturismo corretamente, é preciso estar legalizado e devidamente preparado.

Veja abaixo os requisitos básicos:

Além da parte formal da regularização, o Guia de Ecoturismo precisa desenvolver o seu negócio profissionalmente.

A ABETA (Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura), é uma das entidades que oferecem apoio a profissionais da área com treinamentos, palestras e acompanhamento.

Preservação do meio ambiente e vida sustentável: uma responsabilidade de todos nós

Guia de ecoturismo e a sustentabilidade
Cuidar da natureza é cuidar de nós mesmos.

Não é de hoje que especialistas apontam para a necessidade de preservar a natureza.

E para que não apenas o ecoturismo subsista, mas para que o planeta terra, a nossa casa, não seja destruído, precisamos desenvolver hábitos de vida sustentáveis e preservar a natureza ao máximo.

Essa é a última, mas principal lição endereçada a você que quer saber como trabalhar com ecoturismo.

Como ser um guia de turismo: veja o passo a passo para entrar de vez na profissão

Uma das mais importantes decisões a serem tomadas por qualquer pessoa, é a escolha de qual profissão seguir.

Alguns optam por atividades indicadas pelo senso comum ou por aconselhamento familiar, visando uma suposta estabilidade e/ou prestígio social.

Já outras pessoas, preferem seguir a sua vocação e sonho, sem se preocupar com outros fatores que não a satisfação pessoal.

Neste artigo falaremos sobre como ser um guia de turismo, um profissional habilitado para exercer funções marcadas pela paixão pelo que se faz, mas que também pode oferecer ótimos retornos financeiros.

Leia mais, descubra como ser um guia de turismo e entenda porquê se tornar um profissional no mercado turístico pode ser a melhor opção de carreira!

O que é e o que faz um guia de turismo?

O guia de turismo é um importante profissional do mercado turístico e, porque não dizer, um dos mais importantes.

Dentre as suas funções, o guia de turismo fica responsável por guiar turistas em determinadas localidades, sempre explicando a história do local e de monumentos, símbolos, ruínas e outros marcos regionais.

O profissional atua ainda na criação de roteiros, assessorias remotas a viajantes, recepção em serviços de embarque e desembarque, além do monitoramento de caminhadas por rotas e trilhas ideais em passeios por matas, por exemplo.

Guia de turismo e guia turístico: qual a diferença?

Diferença entre guia de turismo e guia turístico
O guia turístico é como um mapa ou panfleto, podendo ser consultado pelo próprio viajante.

Muitas pessoas não sabem e até confundem, mas o guia de turismo não é a mesma coisa que o guia turístico.

Como vimos anteriormente, o guia de turismo é um profissional certificado e especializado na condução de viajantes por locais turísticos.

Enquanto isso, o chamado guia turístico, ou guia de viagem, nada mais é que um folheto, revista ou até material virtual que fala sobre locais turísticos e indica roteiros.

Categorias de guias de turismo

Todo aquele que deseja saber como ser um guia de turismo, deve saber que uma das etapas mais importantes no processo de formação profissional na área é escolher uma categoria de atuação.

É claro que existem os chamados guias de turismo generalistas, que podem guiar pessoas em diferentes tipos de lugares.

Porém, para oferecer uma experiência de qualidade aos seus clientes, o ideal é que o guia seja especialista em um tipo de setor.

Veja a seguir as três principais categorias!

Guia regional (local)

O guia regional, também chamado de guia local, é um profissional especializado em determinada cidade ou região.

Geralmente esse especialista é nativo do local onde trabalha e possui conhecimento prévio sobre história local, atrativos turísticos e muitos outros detalhes.

Guia nacional 

Para ser um guia de turismo nacional o indivíduo precisa gostar de viajar bastante.

Esse tipo de guia possui especialidade em diversos locais do país, podendo ser requisitado para guiar turistas em estados e cidades distantes de onde reside.

No geral é possível encontrar guias de turismo nacionais trabalhando em grandes agências de turismo, onde acompanham grupos de turistas em viagens. 

Guia internacional

O guia internacional atua exercendo suas atividades em contato com pessoas do mundo inteiro, recebendo e guiando turistas vindos de outro país, ou até mesmo atuando diretamente de outra parte do mundo.

É preciso destacar que o profissional precisa ter conhecimento em ao menos uma língua estrangeira, sendo preferível mais de uma, se manter informado sobre o cenário internacional e aberto a novas culturas e vivências.

Quem pode ser um guia de turismo?

Para ser uma guia de turismo é necessário paixão, afinal, o dia a dia da profissão exige uma grande entrega do profissional.

Entre as habilidades necessárias estão o perfil de liderança, boa dicção, gosto por história e geografia, espontaneidade, conhecimentos de psicologia e carisma.

É exigível que o interessado identifique a sua vocação para a área e, em seguida, siga os trâmites legais para se regulamentar na profissão.

Passo a passo para se tornar um guia de turismo

Agora, conheça os degraus que você terá que subir até se tornar um bom guia de turismo. 

Acompanhe abaixo!

Como ser um guia de turismo

1. Alcance a idade mínima e adquira a escolaridade necessária

Assim como muitas outras profissões, um guia de turismo legalizado precisa ter a escolaridade necessária.

O indivíduo deve ter o Ensino Médio completo e ingressar em um curso subsequente que o permita aprofundar os conhecimentos na área, como o curso Técnico em Guia de Turismo.

Para ingressar na profissão também é necessário ser maior de 18 anos, se a categoria escolhida for a de guiar turistas regionalmente, e 21 anos se o profissional optar por ser um guia de turismo nacional ou internacional.

No caso de profissionais que desejem atuar como guia de turismo internacional, é necessário ainda saber outros idiomas e comprovar isso por meio de diplomas e certificados.

2. Legalize-se 

A profissão de guia de turismo está regulamentada desde 1993, quando foi homologada através de um projeto de lei na cidade do Rio de Janeiro.

Desde então, várias adequações foram feitas e hoje em dia algumas exigências legais são feitas para quem deseja atuar no setor.

Quem deseja saber como ser um guia de turismo, precisa, depois de ter a escolaridade necessária na área, ter as seguintes certificações legais:

3. Especialize-se, faça networking e adquira habilidades novas

Se você quer saber como ser um guia de turismo, tenha em mente que para além da burocracia, essa profissão exige aperfeiçoamento pessoal contínuo.

Portanto, mesmo depois de se formar e se regulamentar na área, continue estudando sobre a profissão, sobre a especialidade pela qual você optou e, também, fazendo contato com outros profissionais da área.

Adquirir experiências é uma boa fonte de conhecimento, e atos como a filiação à ABGTUR (Associação Brasileira dos Guias de Turismo), é uma boa forma de estar “enturmado” com outros profissionais do setor.

Todos querem saber: quanto ganha um guia de turismo?

Uma das principais questões levantadas por todos que se interessam por saber como ser um guia de turismo é o fator remuneração.

Antes de tudo, é necessário entender que a maioria dos guias de turismo são profissionais autônomos e, como tais, não possuem remuneração fixa nem salário base. 

Porém, estima-se que, em média, o salário conseguido por um guia de turismo alcance entre R$ 2 mil e R$ 8 mil ao mês, a depender do local de atuação, do tipo de público, da forma de cobrança (diária, semanal, mensal) e alguns outros fatores.

Faça parcerias que alavanquem o seu negócio

Ninguém consegue vencer na vida sozinho, não é mesmo?

Portanto, ao se tornar um guia de turismo propriamente dito, busque ajuda especializada, como a oferecida pelo Paytour.

Nosso sistema oferece as soluções que um guia de turismo precisa para trabalhar em paz e oferecer facilidades aos seus clientes.

Entre em contato!

Dia do Guia de Turismo: confira 7 dicas para se diferenciar nesse mercado!

Com o reaquecimento da economia e do setor turístico depois de dois anos de estagnação, a importância do guia de turismo volta à primeira cena novamente.

Afinal, é impossível fazer uma viagem que se preze sem a presença de um guia de turismo qualificado, o que torna a presença desses profissionais um detalhe ainda mais indispensável em qualquer pacote ou roteiro de viagem.

Mas, o que torna um guia de turismo realmente diferente dos demais?

Ao longo desse artigo nós abordamos temas importantes e damos dicas para que você, que atua como guia de turismo, se destaque na profissão. Acompanhe!

Como surgiu o dia do guia de turismo?

Tendo sido regulamentada em 1993, a profissão de guia de turismo ganhou um dia para comemorações em 2002, através de um projeto de lei do então vereador Otávio Leite, da cidade do Rio de Janeiro.

O documento instituiu o dia 10 de Maio de cada ano como o dia do guia de turismo. Do Rio, o dia do guia de turismo ganhou o Brasil, e hoje é lembrado em diversas cidades brasileiras.

Essa data possui uma importância bem além da simbólica, sendo também um dia de orgulho para essa categoria tão importante.

Vale sempre a pena enaltecer os profissionais de turismo brasileiros, em especial os guias de turismo, porque apesar de muitas vezes serem desvalorizados pelas autoridades e mal remunerados, eles têm uma importância ímpar na arte de conhecer cada pedaço do Brasil, um país que é turístico por natureza.

Para ser guia de turismo diferenciado, você precisa estar legalizado

Como citamos no tópico anterior, a profissão de guia de turismo foi reconhecida como atividade legal há quase 30 anos.

Dessa forma, para exercer a atividade corretamente é necessário cumprir as prerrogativas legais e abandonar a clandestinidade.

É importante ter, primeiramente:

No que diz respeito ao Cadastur, vale destacar que o cadastro na plataforma é obrigatório, mas traz vários benefícios e incentivos a quem quer exercer a profissão de guia de turismo. 

Tecnologia: braço forte, mão amiga

Homem usando tecnologia para encontrar guia de turismo

Hoje em dia é praticamente impossível atuar em qualquer profissão sem a ajuda da tecnologia e da internet.

Com a aproximação do dia do guia de turismo, é necessário alertar aos nobres integrantes dessa profissão que uma atualização nesse sentido é indispensável.

Frequentemente o guia de turismo precisa fazer cadastros de pessoas, vendas de pacotes ou consultas diversas, por exemplo.

Para ajudar nesse processo, existem sistemas tecnológicos que são totalmente operados de forma virtual, como é o caso do Paytour, que oferece pacotes de serviços que facilitam a vida do guia de turismo e de outros profissionais do setor turístico.

Desfrutando das facilidades do Paytour, o especialista pode focar apenas em fornecer uma experiência incrível aos seus clientes.

7 dicas para ser um guia de turismo top!

Para complementar as informações valiosas que você já viu até aqui, confira mais 7 dicas para ser um guia de turismo totalmente diferenciado!

1) Defina bem a sua categoria de atuação

A direção é mais importante que a velocidade, correto?

Por isso, antes mesmo de começar a atuar como guia de turismo, você precisa definir que tipo de guia você será. As principais opções são as seguintes:

Encontre a sua praia!

2) Alimente o seu amor pela profissão diariamente

Estar motivado é uma necessidade de todo e qualquer profissional, e com o guia de turismo não é diferente.

Traga à memória todos os dias a sua missão e as coisas que lhe motivam a seguir em frente.

Aproveite o próximo dia do guia de turismo para celebrar a sua profissão e relembrar a sua importância.

3) Aprenda novas línguas

Eventualmente você vai se deparar com estrangeiros e, claro, é necessário saber se comunicar com eles.

Uma dica para iniciar a imersão em novos idiomas é começar pelo inglês e depois migrar para o espanhol, o francês e o italiano respectivamente.

4) Cuide da sua saúde física e mental

Guia de turismo exercitando o físico e a mente

A profissão de guia de turismo exige muito do físico do profissional, por causa das caminhadas e da exposição às intempéries, e da mente, por exigir boa memória e concentração.

Alimente-se bem, faça exercícios físicos e pratique meditação e terapia para cuidar da mente.

5) Profissionalize o seu negócio

Não permita que seus clientes tenham a impressão de que você é um amador ou que não liga para o seu negócio.

Formalize a sua empresa, qualifique-se e desenvolva uma postura que seja compatível com as suas atividades.

6) Seja acessível e compreensivo

Tenha em mente que muitos dos seus clientes são pessoas que nunca visitaram o lugar onde estão sendo guiados por você.

Com isso, muitos deles podem ver na sua pessoa um guia não apenas de turismo, mas para todos os aspectos da sua estadia na viagem.

Por isso, não ignore ligações nem trate com frieza as pessoas que pedirem uma ajuda “fora do expediente”, por exemplo.

Seja empático, gentil e solícito, pois isso fortalecerá os laços entre você e essas pessoas. 

7) Busque o máximo de conhecimento que puder absorver

Os seus clientes veem você como um “sabe tudo” sobre a região e os pontos turísticos onde você atua.

Por isso, nunca pare de buscar mais e mais conhecimento sobre as suas especialidades e a profissão como um todo.

Seja mais que diferente, seja único!

Para realmente se destacar neste dia do guia de turismo e em todos os outros, aplique as dicas indicadas nesse artigo de forma perpétua na sua carreira.

Vença as dificuldades com persistência, mas também com constância e disciplina. 

Aproveite a viagem!

Descubra as 6 principais tendências do mercado turístico para os próximos anos

As transformações que vêm ocorrendo no mundo nos últimos anos, ocasionadas pelos efeitos colaterais da pandemia de Covid-19, mudaram significativamente as principais tendências do mercado turístico da atualidade.

O viajante de hoje em dia não é o mesmo de 2018 e 2019, e isso se demonstra de várias maneiras diferentes.

Mas, como o profissional que trabalha com o fornecimento de produtos turísticos pode rastrear essas novas tendências?

Neste artigo você vai entender como e porque 6 das principais tendências do mercado turístico atual estão moldando esse setor. Leia até o final!

O que a pandemia mudou no mercado turístico e no comportamento dos turistas?

Como sabemos, o turismo é uma atividade vital tanto para a economia, quanto para as pessoas.

Um país tropical e possuidor de diversos destinos turísticos maravilhosos, como o Brasil, por exemplo, pode ter uma fonte de renda praticamente infinita no turismo.

Os viajantes, por sua vez, acham no ato de sair em jornadas turísticas um refúgio mental e espiritual, que é imprescindível para manutenção da qualidade de vida.

Com o fechamento das economias ao redor do mundo, voos cancelados e destinos turísticos interditados, o setor do turismo sofreu como nunca antes na história.

Houveram resultados nefastos como perda de empregos, fechamentos de estabelecimentos que dependem do turismo, como os hotéis, e muitas outras consequências devastadoras economicamente falando.

Mas, estudos recentes comprovam que as mudanças nas principais tendências do mercado turístico passam também, e principalmente, pelo novo tipo de comportamento dos turistas. 

Acompanhe os próximos tópicos para entender do que estamos falando!

Quem é o viajante 4.0?

Mesmo antes da pandemia embaralhar as cartas no tabuleiro do turismo mundial, já existia a figura do chamado viajante 4.0. Porém, com a pandemia esse tipo de consumidor começou a ocupar mais espaços. 

O chamado viajante 4.0 é aquele tipo de pessoa mais exigente e sistemática. Logo, por causa das mudanças de hábitos ocasionadas pela pandemia, os novos viajantes 4.0 podem ser identificados pelas seguintes características:

Além do surgimento do novo viajante 4.0, os novos tempos indicam mudanças bem mais profundas no mercado turístico.

Conheça 6 das principais tendências do mercado turístico atual, que estão descritas a seguir.

1. Consolidação dos hábitos deixados pela pandemia

Hábitos no mercado turístico após a pandemia
Alguns hábitos da pandemia permanecerão

A mais evidente tendência no mercado de turismo para os próximos anos é a manutenção dos hábitos adquiridos na pandemia.

Podemos destacar alguns pontos:

2. Aumento da procura por destinos nacionais

Uma das principais tendências do mercado turístico atual, principalmente por causa da pandemia, é o desejo que o brasileiro desenvolveu de conhecer o seu próprio país.

Seja por fatores econômicos (viagens nacionais costumam ser mais baratas), ou por outras questões, fato é que o turismo nacional é uma tendência atual.

Isso pode ser usado por profissionais do turismo, sobretudo guias turísticos e promotores de atividades e atrações turísticas que podem indicar os muitos destinos incríveis que existem Brasil afora.

3. Mais tecnologia e mais informação

A pandemia de Covid-19 só acelerou uma virada no processo de informatização que já vinha acontecendo há alguns anos.

Ter que ficar em casa e resolver as coisas a distância fez as pessoas abrirem os olhos para a importância da tecnologia. 

No setor do turismo não é diferente, e uma das principais tendências do mercado turístico para os próximos anos indica justamente uma maior simbiose entre as atividades do setor e as novas tecnologias.

Podemos citar algumas delas, como:

Neste sentido, para auxiliar profissionais que trabalham no setor turístico, o Paytour oferece todo um background de serviços tecnológicos importantes.

Com isso, você, que é empreendedor no mercado turístico, pode ter à disposição plataformas da empresa que vão otimizar a sua prestação de serviços e o atendimento aos seus clientes! 

4. Pacotes de viagem para apenas uma pessoa

Muitas pessoas nem imaginam, mas o número crescente de viajantes solo tem criado uma das principais tendências do mercado turístico para os próximos anos.

Se antes as viagens de lazer só faziam sentido se acontecessem em família ou em casal, por exemplo, agora muitos indivíduos almejam curtir lugares onde possam ir sozinhos para “fugir de tudo” e fazer uma limpeza mental.

Fique atento a esta tendência! 

5. Maior procura por experiências verdadeiramente marcantes

Experiências marcantes é uma tendência do mercado turístico
As pessoas estão em busca de viver o novo de alguma maneira

O período de isolamento social trouxe profundas crises existenciais para muitas pessoas. 

Com isso, o período pós pandemia tem se mostrado uma época de redescobrimentos e mudanças de estilo de vida. E, claro, em certo ponto, isso atingiu frontalmente o setor turístico.

As pessoas estão buscando viagens marcantes e inesquecíveis, pois têm em mente que aquela pode ser a última oportunidade que irão ter na vida. 

Veja alguns pontos colocados por alguns clientes na hora de escolher um pacote de viagem:

6. Planejamento antecipado de viagens

A última, mas não menos importante das principais tendências do mercado turístico atual da nossa lista, é o fato de hoje em dia as pessoas estarem bem mais preocupadas com o planejamento das suas viagens.

É comum ver famílias ou indivíduos procurarem profissionais que vendem atrativos turísticos para planejar momentos de lazer que só vão acontecer dentro de um ano ou mais.

Esteja atento para ouvir os motivos, necessidades e desejos desse tipo de cliente!

Atraia os seus clientes com naturalidade

Neste artigo apresentamos apenas 6 das principais tendências do mercado turístico na atualidade. Com isso, é correto dizer que ainda podem existir muitas outras.

Portanto, esteja atento aos indicativos para atrair os seus clientes de uma forma natural, por meio de apelos às necessidades dessas pessoas e não por meio de um marketing invasivo.

O que é ecoturismo e porque investir nesse segmento

Turismo de natureza. Esse é o termo que resume bem o que é ecoturismo, segmento que tanto cresce no mundo todo. Ele consiste em proporcionar experiências junto a patrimônios naturais e culturais, sempre de modo sustentável: respeitando o meio ambiente, a economia local e a população no entorno.

E ao juntar um ramo do turismo cada vez mais valorizado com atrativos turísticos bem segmentados e diferenciados, o sucesso é garantido. Comercializar excursões, passeios e visitações guiadas, por exemplo, está entre as tendências para gerar alta lucratividade em 2022.

O próprio Ministério do Turismo indica o ecoturismo como um destaque das atividades turísticas do Brasil. Em 2021, Gilson Machado Neto, líder da pasta no governo federal,

exaltou as características positivas do país para o setor de viagens que priorizam a conexão com a natureza.

Afinal, o Brasil é o único território dono de nada menos do que seis biomas.

A expectativa é de que essa procura cresça ainda mais entre os turistas. Estamos com a campanha de turismo de natureza no ar mostrando aos brasileiros as nossas belezas, que muitos não conhecem. Além disso, nossa intenção é promover um turismo mais sustentável e inclusivo no país

Machado Neto

Quer entender melhor sobre o que se trata o ecoturismo e as vantagens de investir nele como ramo de negócio?

Acompanhe o artigo que o Paytour preparou para você!

Ecoturismo e sustentabilidade

Algo essencial a se entender é que o ecoturismo está relacionado intrinsecamente, principalmente hoje em dia, com a sustentabilidade. 

Atualmente, quem atua com turismo receptivo de natureza e deseja crescer nesse mercado deve estar aliado à consciência ambientalista, visando proporcionar experiências únicas aos seus clientes, mas também aprendizados que podem ser transformadores.

Sem dúvida, atrativos turísticos e excursões voltadas para o ecoturismo que valorizam a interação respeitosa com a natureza conquistam resultados mais gratificantes, pois conseguem impactar positivamente a população local com a economia girando naquele ponto. E isso sem contar a importante preservação ambiental.

Mais de 300 opções para oferecer Ecoturismo no Brasil

De acordo com o Boletim de Inteligência de Mercado no Turismo (BIMT), existe um total de 334 unidades de conservação federais no Brasil. Essas áreas estão presentes em todos os 26 estados e também no Distrito Federal.

As unidades de conservação se dividem nas seguintes categorias: 

As visitações em Parques Nacionais representam 64%, entretanto, segundo o governo federal, é possível perceber o aumento na procura por passeios turísticos em Áreas de Proteção Ambiental, Monumentos Naturais e Reservas Extrativistas.

Para fomentar ainda mais esse tipo de viagem, são necessárias ações em conjunto. Empresas que oferecem atrativos turísticos ou operadores de ecoturismo, por exemplo, devem estar concatenadas com as tendências dos turistas atuais para oferecerem as melhores experiências, garantindo que sejam também diferenciadas.

Com as soluções do Paytour, você consegue enxergar possibilidades vantajosas para o seu negócio, compreendendo bem o que é ecoturismo na atualidade e se posicionando online para vender mais.

O ecoturismo cresce, pois é uma necessidade 

O crescimento do ecoturismo tem diversas explicações, mas a principal delas é a necessidade que as sociedades hoje têm de se conectar ‘novamente’ com a natureza. 

Cada vez mais afastadas dos campos, inseridas em metrópoles e em um dia a dia exaustivo, as pessoas buscam opções de lazer que estejam ligadas a algo que fuja disso. 

Além disso, a pandemia e a inevitável quarentena para conter a disseminação de covid-19 também ascenderam nos turistas de todo o mundo o desejo e também a precisão de estar, pelo menos, ao ar livre. Portanto, passeios e atrativos de todos os patamares têm sido valorizados, desde a ida a um parque da cidade à visitação em cânions e cachoeiras isoladas.

Quem ‘bate o martelo’ quanto a essa tendência é Luiz Del Vigna, diretor executivo da Associação Brasileira das Empresas de ecoturismo e Turismo de Aventura. 

“O ecoturismo é uma necessidade contemporânea. O processo de urbanização ao longo dos anos fez com que ficássemos cada vez mais afastados da natureza. Natureza é saúde! Essa procura, essa transformação, já vinha acontecendo. Acredito que a pandemia adiantou uma série de coisas em uns dez anos, e com ele não foi diferente. É um movimento que há muito tempo acompanhamos e entendemos como certo de acontecer”, explica o executivo em entrevista recente.

Ou seja, apostar no ecoturismo é seguir por um caminho que pode dar muito certo, tanto no Brasil, onde há natureza por todos os cantos possíveis, de todos os tipos e para todos os gostos, quanto em outros países do mundo, afinal, a demanda é global e urgente.

Turismo de natureza: venda mais na internet!

Que o ecoturismo é tendência mundial você já pode perceber, não é mesmo?

Agora, como alavancar as suas vendas nesse segmento e aproveitar essa crescente onda?

Nós, do Paytour, sabemos bem o que é ecoturismo e estamos por dentro do que há de melhor nesse mercado. Conhecemos, por exemplo, como é possível oferecer atrativos turísticos, fazer reservas de excursões e automatizar processos, tudo isso de forma online.

“Modernizar” é a chave para vender mais quando se trabalha com turismo hoje em dia. E não há como fazer isso sem entrar de cabeça no universo digital. É na internet que você pode fidelizar mais clientes, mostrar a cara de seu empreendimento estrategicamente, organizar melhor as reservas e os check-ins, e claro, aumentar a recorrência

Em outras palavras: você vai lucrar mais!

Veja o que sua empresa ganha com o sistema do Paytour:

Quer ser uma referência no ecoturismo?

Aproveite essas soluções acima e muitas outras oferecidas pelo Paytour. Entre em contato com a gente!

Esperamos que tenha gostado do artigo. Não deixe de compartilhá-lo com quem precisa saber desse assunto e continue acompanhando o nosso blog.

Até mais!

Gestão de turismo receptivo: as melhores estratégias para alavancar seu negócio

Uma boa gestão de turismo receptivo é o que costuma diferenciar seu negócio dos demais. Investir nisso garante mais organização e planejamento, pilares essenciais para visualizar características, qualidades e possibilidades para o seu empreendimento.

Ou seja, a gestão, quando bem realizada e assessorada, consegue deixar tudo mais claro e dinâmico para quem visa iniciar ou expandir seu negócio no ramo de turismo receptivo. É uma ação que promete fazer sua marca se estabelecer e crescer no mercado, além de, claro, alavancar as vendas.

O que acha de conhecer melhor como realizar uma gestão de turismo receptivo poderosa?

Nós elaboramos um artigo com dicas e passos importantes. Acompanhe!

Problemas que a falta de gestão traz

Há reclamações comuns a agências de receptivos que ainda não investem em um gerenciamento eficiente. As principais são:

Apesar de comuns, são problemas graves e que acarretam em uma bola de neve complicada de ser desfeita.

Consumidores que se deparam com uma empresa que enfrenta alguma dessas adversidades costumam não sentir segurança, afinal, turismo é um segmento que depende muito da confiabilidade de quem o oferece.

Sua empresa passa por problemas desse tipo?

Fique atento. O que provavelmente falta é uma gestão de turismo receptivo direcionada e feita por quem sabe do assunto. 

O Paytour pode ajudar você nesse sentido, do começo ao fim, auxiliando na automatização dos processos, no controle das reservas e ainda na expansão de seu empreendimento no meio digital.

Pontos principais da gestão de turismo receptivo 

Começar um plano de gestão envolve muitos procedimentos. Por isso é algo que deve ser feito com ajuda de profissionais que entendam bem onde estão pisando em cada passo.

A gestão de turismo receptivo do Paytour é voltada para os seguintes públicos:

Se o seu negócio é de alguma dessas áreas, então a gestão de turismo receptivo é realmente para você. 

Conheça a seguir os tópicos cruciais que compõem esse tipo de gerenciamento.

Planejamento e organização do receptivo turístico

O primeiro passo, sem dúvida, é traçar o plano de ação.

Perguntas como essas vão nortear a elaboração de seu planejamento.

Identificação de potencialidades

Outro tópico importante na gestão de turismo receptivo é visualizar as possibilidades para seu negócio. 

Pense nisso para conseguir se diferenciar no mercado.

Levantamentos quantitativos e qualitativos

Em uma gestão de turismo receptivo, não há como não fazer o diagnóstico da infraestrutura e dos serviços turísticos disponíveis. Entenda as principais falhas, como é possível resolver e quais as características positivas.

Extraia todas as informações pertinentes para fazer um balanço quantitativo e qualitativo, garantindo números que vão embasar o seu empreendimento. 

Faça uma pesquisa completa inicial, mas tenha em mente que ela precisará ser refeita de tempos em tempos para manter seu negócio atualizado e de acordo com estatísticas reais.

Escolher atrativos turísticos com infraestrutura e hospitalidade

Após ter os estudos quantitativos e qualitativos em mãos, dá para seguir para o próximo passo: a definição dos atrativos turísticos que vão compor o seu catálogo de serviços e produtos. 

Valorize aqueles com a melhor infraestrutura e a hospitalidade que podem oferecer aos viajantes.

Elaborar roteiros e eventos locais 

Além de ter conhecimento sobre todos os atrativos turísticos possíveis para comercializar ao seu público, trabalhe na elaboração de roteiros que possam ser interessantes. Isso agrega valor ao seu serviço e certamente chama a atenção dos consumidores. 

Nos roteiros, busque incluir eventos fixos e sazonais, assinalando aqueles indicados para famílias, casais, aventureiros, etc.

Buscar parcerias privadas e públicas 

Você não precisa se isolar no mercado turístico. 

Aliás, crescer junto a outros empreendedores locais e regionais pode ser muito mais gratificante. Um divulga o outro e os dois saem ganhando. 

Pense nisso para eventos específicos, datas especiais ou então algo fixo, como descontos para quem comprar com a empresa parceira.

Isso funciona também com parcerias com órgãos públicos. Muitas prefeituras e secretarias de turismo envolvem agências de todos os portes em eventos, festivais e períodos estacionais para atrair turistas e oferecer atrativos diferenciados.

Estudar a diversificação de ofertas de turismo receptivo

Sente que seu negócio pode ir muito além? Então estude possíveis novidades para incluir em seu catálogo. 

Diversificar as ofertas também faz parte da gestão de turismo receptivo moderna e eficiente, afinal, o mundo muda muito rápido e sua empresa precisa acompanhar para não ficar para trás. 

Lembre-se que o Paytour pode te ajudar em tudo que está relacionado ao sistema de ofertas, vendas e reservas, facilitando a inclusão e retirada de produtos e serviços na plataforma.

Investir no mercado online de turismo receptivo

Por fim, mas não menos importante, a gestão de turismo receptivo de hoje em dia não deve deixar de lado o investimento no digital. É no universo online que tudo acontece de forma mais dinâmica e que as vendas têm crescido exponencialmente.

O Paytour tem know-how para ajudar você a marcar presença na web, apresentando um sistema de reservas eficiente, rápido e que está disponível 24 horas por dia. Ou seja, sua empresa sai na frente por ter uma gestão online atenta ao consumidor moderno.

Bom, essas são nossas considerações sobre o que uma boa gestão de turismo receptivo deve ter. 

O que achou? 

Ficou com alguma dúvida? 

Entre em contato por algum de nossos canais de atendimento. Compartilhe com quem precisa saber disso e continue acompanhando outros artigos em nosso blog, até mais!

Aprenda a usar o WhatsApp Business no turismo e como tirar o melhor da ferramenta

O WhatsApp é uma das ferramentas mais populares do Brasil. A estimativa é que 99 milhões de brasileiros utilizam o app. No mundo todo, o WhatsApp possui 2 bilhões de usuários.

Agora, você já parou para pensar quantas vezes por dia você checa as novas mensagens, acessa grupos e, recentemente, conversas iniciadas por marcas diretamente pelo WhatsApp?

Trata-se de uma ferramenta que realmente facilita a comunicação, motivo que explica porque o WhatsApp é o aplicativo mais utilizado pelos brasileiros, sendo que 60% das pessoas afirmam que conferem o WhatsApp todos os dias antes de dormir.

Devido ao seu potencial, a ferramenta lançou o WhatsApp Business, uma versão comercial desenvolvida para empresas de todos os portes, a fim de tornar o atendimento mais ágil para os clientes.

Você já utiliza a conta comercial do WhatsApp? Sabe como tirar o melhor proveito do WhatsApp Business no turismo? Explico agora o que você precisa para se cadastrar na ferramenta e como incluí-la em suas estratégias de vendas.

Mas primeiro, vamos entender as diferenças!

Qual a diferença do WhatsApp tradicional e WhatsApp Business?

O WhatsApp Business no turismo possibilita aos negócios mais do que apenas separar a conta pessoal da corporativa. O WhatsApp Business possui uma API que possibilita ter múltiplos atendentes, realizar integrações com chatbots e automatizar funcionalidades.

No perfil do WhatsApp Business é possível cadastrar as seguintes informações:

Tudo isso ajuda a aumentar a confiança dos clientes nas empresas, que passam a conversar com um perfil que demonstra mais profissionalismo.

Como migrar do pessoal para o WhatsApp Business?

É importante saber que você pode ter o aplicativo do WhatsApp Messenger e também do WhastApp Business em seu celular, no entanto, cada conta precisará ser vinculada a números de telefones diferentes.

Caso você queira migrar uma conta do Whatsapp Messenger para o WhatsApp Business, o aplicativo oferece a possibilidade de fazer um backup das mensagens, mídias e contatos para que você não perca nenhuma informação nesse processo.

Basta seguir o passo a passo:

  1. Acesse a Play Store ou Apple Store e baixe o aplicativo WhatsApp Business
  2. Abra o Whatsapp Business e selecione “Concordar e continuar”
  3. Toque em “permitir” para que o app possa acessar seus contatos, fotos e arquivos
  4. Insira o número de telefone que você deseja vincular
  5. Faça a verificação do seu número de telefone comercial
  6. Aceite transferir ou vincular o número de telefone para o WhatsApp Business
  7. Clique em continuar e insira o código que receber
    1. Se escolher um telefone fixo (falamos mais abaixo), selecione a opção de verificar por ligação

Caso você possua um celular com dois chips, poderá cadastrar cada um dos aplicativos (WhatsApp Messenger e WhatsApp Business) vinculados a um chip diferente.

Como usar telefone fixo na conta comercial WhatsApp Business?

Caso você prefira, é possível associar o WhatsApp Business a um telefone fixo da sua empresa. Esta opção é recomendada para negócios que tenham uma operação que ainda recebe muitas ligações, pois traz ainda mais confiança e praticidade.

Assim é possível utilizar tanto o WhatsApp Business, quanto o WhatsApp Messenger em um mesmo chip. A diferença estará na hora de realizar o cadastro no WhatsApp Business.

Neste caso, ao fazer a verificação do número, em vez de selecionar a opção por SMS, escolha a verificação por ligação.

Melhores estratégias para usar o WhatsApp Business no turismo

Enviar atualizações sobre a viagem

O WhatsApp Business no turismo é ótimo para se manter em contato com o cliente e trabalhar o relacionamento através de atualizações e do compartilhamento de informações úteis.

Você pode mandar detalhes sobre o itinerário, recomendações sobre o passeio, orientações sobre acessórios e roupas adequadas, horário de saída e chegada, e demais informações para o viajante ficar bem preparado para a viagem.

Criar expectativas

Você também pode utilizar o WhatsApp Business no turismo para trabalhar a expectativa fazendo contagem regressiva acompanhada de fotos, vídeos e curiosidades interessantes sobre a atividade que o turista vai realizar.

Também vale a pena sugerir mais atividades que estejam relacionadas à compra que foi realizada com o seu receptivo, como sugerir locais para se alimentar, etc.

Não esqueça que a própria ferramenta permite que você cadastre mensagens automáticas. Utilize esse recurso para saber se o cliente deseja continuar recebendo conteúdos complementares ou se ele prefere restringir a comunicação às informações úteis.

Recomendado para você: A importância da Criptografia de Dados para seu negócio

Resolva dúvidas com agilidade

O WhatsApp Business no turismo é uma ótima maneira de esclarecer dúvidas com agilidade para o viajante. 

Além disso, a ferramenta também é bastante funcional para todos os tamanhos de atrativos turísticos, pois o mesmo número pode ter múltiplos atendentes, com registro de histórico de conversa.

Faça impulsionamentos direcionados para o WhatsApp

Um dos grandes benefícios de usar o WhatsApp Business no turismo é que o app pode ser sincronizado com a sua página do Facebook e Instagram. 

Dessa maneira, ao realizar impulsionamentos para o seu público-alvo, você pode adicionar um botão para que eles entrem em contato, façam orçamento ou tirem dúvidas diretamente no WhatsApp comercial do seu negócio, estabelecendo um contato direto sem precisar passar pelo site ou pela home do Instagram/Facebook.

Essa possibilidade representa economia de esforço e de tempo para o viajante, e aumenta a chance de conversões.

O WhatsApp Business pode ser integrado ao sistema da Paytour

Ciente de todos os benefícios do WhatsApp Business no turismo, nossa plataforma permite que você faça vendas pelo WhatsApp de maneira completamente integrada ao sistema.

Além de toda praticidade que isso significa para o cliente, essa integração tem um grande impacto no dia a dia do seu negócio, pois possibilita fazer a gestão de reservas, de vendas e realizar o acompanhamento dos clientes com registros concentrados em um só lugar.

Já imaginou fazer a venda direto pelo WhatsApp, sem que o cliente precise sair da plataforma e a venda ser registrada no sistema automaticamente, eliminando a chance de você fazer reservas duplicadas?

Happy Season 5 GIF by Friends - Find & Share on GIPHY

Com a integração da Paytour com o WhatsApp Business você pode! Converse com um dos nossos atendentes e veja como é rápido e simples aprender a utilizar a plataforma e transformar a gestão do seu receptivo.

Descomplicando o marketing para receptivos: aprenda a criar estratégias para atrair o turista ideal

Existe um fato na rotina dos receptivos que é inegável: a quantidade de visitantes recebidos coloca os profissionais de turismo em contato com o mais variado tipo de pessoas, vindas de diversos locais do país e do mundo.

No entanto, temos certeza que em meio a essa diversidade de pessoas, você já deve ter identificado perfis semelhantes e padrões de comportamento que se repetem entre os seus visitantes. 

E ainda mais: provavelmente, também identificou um perfil de cliente que você gostaria de atrair mais, por ter um padrão de consumo, de ações e de preferências consideradas ideais, pois se relacionam bem e oferecem retorno financeiro para o seu serviço.

Se você já pensou que gostaria de atrair mais esses clientes que parecem ser o ideal para o seu receptivo, saiba que existem estratégias que te auxiliam a atraí-los.

Hoje nós vamos te ensinar como descomplicar o marketing, criar estratégias eficientes e se comunicar com o cliente ideal do seu negócio para que você invista recursos no que realmente traz resultados.

Descomplicando as estratégias de marketing

Passo 1: pense em estratégias mais segmentadas e menos gerais

O primeiro passo para descomplicar a maneira como você faz o marketing e a divulgação do seu negócio é não tentar atingir todo mundo ou o máximo de pessoas possíveis.

Com base no tipo de passeio oferecido, nas características da região e dos demais pontos turísticos próximos ao seu receptivo, busque atingir as pessoas que têm mais propensão de se atraírem por aquela experiência.

Mas como eu faço essa definição de cliente? É o que nós mostramos no tópico abaixo.

Passo 2: defina quem é seu cliente ideal

Faça um exercício de reflexão e pense: quem são os seus principais consumidores?

Aqueles clientes que as vendas são mais fáceis ou cuja experiência oferecida pelo seu receptivo combina exatamente com o que eles buscam.

Em seguida, observe como estes clientes vivem a experiência do serviço, busque entender o por quê eles compram e de que forma se relacionam com a empresa. Essa pessoa tem o potencial para ser o seu cliente ideal.

Com base no comportamento desses consumidores, defina padrões e crie uma persona. 

Por exemplo: Vitor, 33 anos, graduado em Arquitetura e Urbanismo, tem um emprego estável, renda média de R$ 4.000 a R$ 6.000, é ambicioso, gosta de viajar para ter novas aventuras e ampliar o repertório de referências. Tem preferência por cidades históricas e gosta de restaurantes locais bem conceituados.

Para facilitar esse processo, você pode utilizar esse gerador de personas.

Abaixo, nós explicamos como segmentar e porque a definição de persona ou cliente ideal é diferente de segmentação e porque as duas são importantes.

Passo 3: segmentação de público

A segmentação de público é um nível anterior à definição de persona, mas ela é tão importante quanto.

Segmentar o público nada mais é que atribuir características demográficas, geográficas e psicográficas aos seus visitantes.

Se você utiliza um sistema eficiente para fazer a gestão das reservas, muitas informações para segmentar já estão disponíveis no próprio cadastro dos clientes.

Por exemplo: idade, faixa etárias, localização, estado civil, renda, nível de escolaridade, as aspirações, o estilo de vida e as preferências culturais, religiosas e políticas.

Note que, ao contrário da definição de persona, a segmentação é mais geral e visa alcançar um grupo que compartilha de características e preferências.

Passo 4: mantenha o contato e relacionamento por e-mail

Com todas essas definições de público, é possível compreender uma lição: cada pessoa é única e vai se relacionar com o seu receptivo de uma maneira. Por isso, quanto mais personalizada for a comunicação com cada cliente, mais chances você tem de obter sucesso.

Sabendo que o e-mail é uma informação obrigatória no cadastro, que tal utilizá-lo de forma inteligente e estratégica para se comunicar com o cliente?

Conquistar a confiança do cliente a ponto de ter um canal de contato direto com ele é uma etapa a ser ultrapassada e, quando você já possui esse canal direto, deixar de explorá-lo é um erro que pode custar caro para a sua empresa!

Utilize as informações de segmentação e persona acima para criar trilhas de e-mail com conteúdos e informações interessantes, de acordo com os perfis de clientes.

Outra forma necessária de explorar esse canal é compreendendo a jornada do cliente. Lembre-se que, antes de concluir uma compra, cada cliente passa por um processo desde o primeiro contato até ganhar maturidade para efetuar a compra.

Você pode interferir e auxiliar diretamente nesse processo criando uma trilha de e-mails que respeita as etapas da jornada, oferecendo informações, detalhes da experiência, personalizações, benefícios, até chegar o momento da oferta.

Passo 5: ofereça conteúdos úteis e utilize ferramentas para automatizar envios

São as ferramentas indispensáveis para que você ganhe escala e não precise realizar as tarefas manualmente. 

Imagina enviar 100 e-mails manualmente para seus clientes?

É uma estratégia inviável que impossibilita manter um relacionamento com os turistas. No entanto, existem ferramentas gratuitas, como o MailChimp, que possibilitam que você faça este envio de maneira massificada, utilizando filtros e criando trilhas para entregar o conteúdo certo para o cliente certo.

Na hora de criar os conteúdos, pense nas principais dúvidas que podem surgir sobre os passeios, nas informações históricas, nos benefícios e parcerias, criando uma trilha que mescla informação, curiosidade, ofertas personalizadas e relacionamento com os visitantes.

Se os processos aí no seu receptivo ainda estão indefinidos e manuais, saiba que ainda não é tarde para começar! A pandemia fez com que as pessoas ficassem ainda mais conectadas.

Enquanto os turistas ainda não se sentem 100% seguros para viajar como antes, invista este tempo para organizar a casa, se preparar e começar a se comunicar com antigos e novos clientes abordando eles de um jeito estratégico e cada vez mais inteligente

Temos certeza que, dentro de alguns meses, você começará a colher resultados que vão durar por anos!

Quer ficar por dentro dos nossos conteúdos?

Siga o nosso Instagram!

Você ficará por dentro de todos os conteúdos do turismo, como novidades, dados, dicas e e-books! 

Utilize o Selo do Turismo Responsável para oferecer segurança aos turistas e atraia mais visitantes

O Ministério do Turismo criou o Selo Turismo Responsável com o objetivo de estabelecer normas sanitárias para que estabelecimentos comerciais se comprometam a cumprir os protocolos de saúde para prevenção do covid-19.

O selo também tem o objetivo de tornar as viagens mais seguras para trabalhadores e turistas, incentivar a retomada nas viagens, hospedagens e visitas a locais turísticos, auxiliando o setor a recuperar o crescimento.

Para saber como ele funciona, como o seu estabelecimento pode obter o selo e como garantir a segurança dos trabalhadores e turistas para que eles se sintam mais confiantes em viajar, acompanhe!


O que é o Selo de Turismo Responsável?

O Selo do Turismo Responsável, Limpo e Seguro foi criado em 2020 para sinalizar os estabelecimentos que estão cumprindo as normas necessárias para prevenção do covid-19.

Trata-se de um selo que deve ser visualmente acessível para os clientes, através de um QR Code pelo qual o cliente pode acessar as medidas de segurança sanitárias adotadas pelo empreendimento, serviço ou profissional em questão.

Os protocolos de segurança definidos pelo Ministério do Turismo são válidos para 15 atividades turísticas:

Um protocolo específico para cada serviço foi criado pelo Ministério do Turismo e validado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). As diretrizes foram elaboradas a partir de protocolos internacionais que comprovam que medidas como o uso de máscara e distanciamento são eficazes na prevenção.

Como conseguir o selo do Ministério do Turismo?

Para conseguir o selo do Ministério do Turismo, é necessário que os estabelecimentos cumpram as medidas previstas para cada serviço.

Além de medidas como uso de máscara, disponibilizar álcool em gel 70% na recepção e nas áreas de acesso como elevador, buffet, etc., as recomendações também determinam medidas de higienização de objetos, mesas, quartos e orientam que o autosserviço de bagagens e estacionamento seja estimulado pelos hotéis.

Há ainda um protocolo básico que é válido para todos os 15 serviços.

Protocolo básicos para todos os prestadores

  1. Assegurar a lavagem e desinfecção das superfícies onde colaboradores e consumidores circulam.
  2. Promover a medição da temperatura de todos os frequentadores na entrada do estabelecimento, observando que a clientela que apresente febre (37,3 ºC segundo a OMS) ou mesmo febre auto referida, deve ser orientada a buscar o serviço de saúde e seu acesso não deve ser permitido.
  3. Realizar a limpeza, várias vezes ao dia, das superfícies e objetos de utilização comum (incluindo balcões, interruptores de luz e de elevadores, maçanetas, puxadores de armários, entre outros).
  4. Promover a renovação de ar, regularmente, das salas e espaços fechados, abrindo as janelas e portas para passagem da corrente de ar.
  5. Disponibilizar álcool 70% nas formas disponíveis (líquida, gel, spray, espuma ou lenços umedecidos) em locais estratégicos como: entrada do estabelecimento, acesso aos elevadores, balcões de atendimento, para uso de clientes e trabalhadores.
  6. Utilizar lixeiras que não precisam ser abertas manualmente. Esvaziá-las várias vezes ao dia.
  7. Disponibilizar nos banheiros sabonete líquido e toalhas de papel descartáveis.
  8. Disponibilizar cartazes com informações/orientações sobre a necessidade de higienização de mãos, uso do álcool 70% nas formas disponíveis (líquida, gel, spray, espuma ou lenços umedecidos), uso de máscaras, distanciamento entre as pessoas, limpeza de superfícies, ventilação e limpeza dos ambientes.
  9. Providenciar o controle de acesso, a marcação de lugares reservados aos clientes, o controle da área externa do estabelecimento e a organização das filas para que seja respeitada a distância mínima de 1 metro entre as pessoas.

Protocolo para turistas

O site do Selo de Turismo Responsável, Limpo e Seguro também prevê medidas que devem ser cumpridas pelos turistas, reforçando que os mesmos devem ter acesso à informação, verificar as recomendações sobre o estado, município e local antes de viajar e agir de forma responsável.

As empresas podem disponibilizar estas informações por meio de cartilhas ou de um QR Code que destine o visitante para o site ou conteúdo com as informações.

Entre as medidas estão:

  1. Não viajar se estiver doente, se pertencer ao grupo de risco, se morar com alguém do grupo de risco, ou se esteve com alguém com COVID-19 nos últimos 14 dias.
  2. Evitar cumprimentar com contato físico, incluindo apertar as mãos, tanto de funcionários quanto de outros turistas. A distância de segurança de, pelo menos 1 metro, deve ser respeitada sempre.
  3. Caso viaje em carro particular, considere que fazer paradas ao longo do caminho para abastecer, comer ou ir ao banheiro pode colocar você e seus companheiros de viagem em contato próximo com outras pessoas e superfícies frequentemente tocadas e potencialmente infectadas. Evite situações desnecessárias em sua viagem.
  4. Verifique os sites de referência em saúde pública, estaduais e municipais, para obter informações.
  5. Se estiver viajando internacionalmente, consultar o Escritório de Relações Exteriores ou o Ministério da Saúde do país.
  6. Obter detalhes sobre os requisitos de entrada e restrições para viajantes que chegam, bem como testes obrigatórios ou tempo de quarentena.
  7. Prepare-se para ser flexível durante sua viagem, pois restrições e políticas de saúde podem mudar antes e durante sua viagem.
  8. No momento de escolher sua hospedagem opte por hotéis que priorizem sua segurança e bem estar, como por exemplo, os que aderiram ao Selo Turismo Responsável e observe se o estabelecimento está cumprindo o protocolo proposto.
  9. Evite aglomerações nas recepções, utilize os canais online e faça o check-in com antecedência.
  10. Utilizar máscara em todos os ambientes públicos e/ou compartilhados. Cobrir o nariz e a boca com lenço ou com o braço, e não com as mãos, ao tossir ou espirrar.
  11. Lavar as mãos com água e sabonete, ou utilizar álcool em gel 70%, ou outro produto, todos devidamente aprovados pela ANVISA, caso não disponha de local para lavar as mãos, após espirrar, assoar o nariz, tossir ou sempre que tocar em qualquer superfície potencialmente contaminada (dinheiro, máquina de cartão, balcão do estabelecimento, corrimão, botões de elevadores, maçanetas, telefone, computadores, aparelho celular, etc.).
  12. Evitar tocar olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas ou higienizadas com álcool gel 70%.
  13. Não compartilhar equipamentos ou objetos pessoais com outras pessoas.
  14. Evitar qualquer tipo de aglomeração.
  15. Se apresentar algum sinal ou sintoma de Covid-19, evitar contato físico com outras pessoas, principalmente, idosos e doentes crônicos (e comunicar imediatamente a direção do serviço onde estiver hospedado).
  16. Evitar tocar em paredes, balcões e outras superfícies, caso não seja possível, higienizar as mãos em seguida.
  17. Observar se o estabelecimento está cumprindo o protocolo proposto.
  18. O turista também é responsável pelo controle da epidemia, não basta apenas os estabelecimentos e os locais públicos estarem adequados, seja consciente, seja um turista responsável. Caso os protocolos de segurança não sejam cumpridos pelo estabelecimento, denuncie, ligue 136 - Disque Saúde. Faça sua parte.

Como emitir o selo de turismo responsável?

O requisito para emitir o Selo de Turismo Responsável, Limpo e Seguro é possuir a inscrição regularizada no site do Cadastur (Cadastro de Prestadores de Serviços Turísticos).

O selo é totalmente gratuito e, após ler as orientações previstas no protocolo de acordo com a atividade específica realizada, basta aderir à autodeclaração de que o estabelecimento ou prestador de serviço cumpre as recomendações.

Após realizar o preenchimento no site do projeto, o solicitante pode fazer o download do selo para imprimir e colocar no estabelecimento.

Seguir as recomendações para o seu serviço e obter o Selo do Turismo Responsável, Limpo e Seguro representa a principal maneira de garantir a segurança dos turistas e trabalhadores.

Mais do que apenas atrair os visitantes que vão se sentir mais seguros, as medidas também auxiliam a manter seu negócio de portas abertas, reduzindo as chances de ocorrer infecções ou transmissão do vírus no local.

Atualmente, o número de estabelecimentos que fizeram o registro no Selo do Turismo Responsável já ultrapassou 28 mil

Se você ainda não faz parte desse número, adote as medidas de segurança e seja mais um responsável pela retomada do crescimento do setor de forma segura!

Quer ficar por dentro dos nossos conteúdos? Assine agora a nossa newsletter! Você ficará por dentro de todos os conteúdos do turismo, como novidades, dados, dicas e e-book! 

Utilize o Pix como aliado ao seu negócio!

Com o PIX, você pode aproveitar diversas vantagens oferecidas por esse sistema de pagamento no seu negócio. O PIX permite que transferências e pagamentos sejam feitos de forma imediata, em qualquer horário e dia da semana, e entre bancos diferentes, sem custo para pessoa física. Pensando nisso, por que não utilizar essa forma de pagamento a seu favor?

Crescendo cada dia mais, segue alguns benefícios que você deve saber sobre o PIX:

- Custo de transação;

- Melhorando o fluxo de caixa devido disponibilização imediata dos recursos na conta da empresa;

- Sem necessidade de troco;

- Facilidade de automatização;

Para utilizar e aproveitar essas vantagens é preciso ter uma estratégia bem estabelecida para ter os resultados em mãos. Importante ficar atento em algumas informações importantes, segue abaixo: 

- Alguns bancos estão cobrando o PIX de pessoa jurídica e outros limitando a gratuidade da PJ a um número X de PIX por mês.

- Caso seja pessoa física, pode cadastrar até cinco chaves do PIX e caso seja pessoa jurídica, pode cadastrar até 20 chaves;

- Você pode realizar essas transações pelo PIX através das chaves cadastradas e pelo QR Code. O QR Code estático permite que seja definido um valor para um produto e pode ser usado em múltiplas transações, sendo perfeito para seu negócio.

Gostou do nosso conteúdo? Aproveite agora para verificar ver nosso blog e confira o nosso instagram

Você já pensou em ser um líder?

Um líder tem como papel inspirar os outros, influenciando as ações, decisões e comportamentos de maneira positiva. Um bom líder sempre está compartilhando seus conhecimentos com seus colegas, buscando apresentar soluções aos problemas das operações, trabalhando em conjunto com a equipe.

Uma pessoa que possui o espírito de liderança, tem uma combinação de habilidades, competências e personalidade específicas de um bom líder. Porém todos esses conhecimentos não vêm da noite para o dia, é preciso muito estudo sobre gerenciamento de equipe, soft skills, hard skills, gestão de pessoas e outros assuntos.

Já ouviu falar nas habilidades do futuro? Estaremos citando algumas habilidades para você!

Gestão de pessoas

Saber gerenciar e desenvolver pessoas será um diferencial numa era em que as cabeças estão, cada vez mais, voltadas para as telas. O líder que souber identificar bons talentos e irá motivá-los para que conquistem seu lugar no mercado de trabalho. 

Inteligência emocional

Conhecer as próprias emoções e saber gerenciar é essencial, principalmente em momentos de crise. Se bons resultados no mundo do mercado dependem de pessoas, é necessário que sejam trabalhadas habilidades de analisar e ponderar sobre as próprias emoções.

Negociação

Características como conciliar diferenças, ponderar sobre prioridades, abrir mão de vantagens são importantes para um bom negociador. A capacidade de fazer negociações com clientes, colegas, gestores e equipe estará no topo da lista de habilidades desejáveis. 

Confira mais sobre as habilidades do futuro aqui! Gostou do nosso conteúdo? Confere o nosso post com 3 dicas de livros sobre liderança!