10 Termos do Turismo que Você Precisa Conhecer

Você já se deparou com termos como "overbooking" e "no show" em meio a uma reserva? Ou ainda, "day use" e "check-in"? 

O mundo do turismo, especialmente para quem atua na área, tem um vocabulário próprio, cheio de siglas e expressões que podem deixar clientes e profissionais iniciantes perdidos. Compreender essas terminologias não é apenas uma vantagem para profissionais do setor, mas também para qualquer viajante que deseja planejar e aproveitar suas viagens de maneira mais eficiente e tranquila.

Neste artigo, vamos desvendar 10 termos essenciais do dia a dia no turismo, que vão te ajudar a entender melhor o funcionamento do setor e a se comunicar com mais fluidez. 

Prepare-se para dominar os jargões do turismo e garantir que suas aventuras sejam tão bem organizadas quanto memoráveis. Venha conosco e descubra como um simples entendimento das palavras certas pode transformar sua próxima jornada.

Você também pode gostar:
- Qual a diferença entre guia de turismo e guia turístico?
Dicas de como elaborar um roteiro turístico: confira este guia completo!
- Como abrir uma empresa de turismo receptivo em 4 passos

1. Overbooking

Imagine a cena: você chega a um hotel com uma reserva confirmada, mas ao chegar, descobre que não há quartos disponíveis. Isso é o "overbooking" em ação. O overbooking ocorre quando um hotel vende mais quartos do que possui, uma prática comum em épocas de alta demanda, com o objetivo de maximizar a ocupação e, consequentemente, os lucros. 

Mas essa prática não se limita apenas aos hotéis. Agências de passeios e guias de turismo também podem enfrentar situações semelhantes, vendendo mais vagas em tours ou atividades do que a capacidade real.

Quando ocorre uma situação de overbooking, a empresa deve oferecer alternativas viáveis, como realocar o hóspede em um estabelecimento similar, oferecer um upgrade ou até mesmo proporcionar um reembolso completo. Em relação a passeios, a agência pode tentar agendar o cliente para outra data, oferecer um passeio alternativo ou compensações adicionais, como descontos futuros ou benefícios extras.

É crucial destacar que, apesar de parecer uma prática desleal, o overbooking é legal e muitas vezes uma necessidade para manter a viabilidade econômica das empresas, desde que manejado de forma responsável e transparente. 

2. No Show

Você faz uma reserva em um restaurante para um jantar especial, mas, por algum motivo, não consegue comparecer e esquece de cancelar. Isso é um "no show". 

No setor de turismo, o termo "no show" refere-se a situações em que um cliente não aparece para uma reserva confirmada, seja em hotéis, passeios ou eventos.

Para hotéis e agências de turismo, os "no shows" podem resultar em perda de receita, pois o quarto ou a vaga no tour que poderia ter sido vendida a outro cliente permanece desocupada. Além disso, impacta a logística e o planejamento, já que os serviços preparados para aquele cliente acabam sendo desperdiçados.

Para mitigar os efeitos dos "no shows", muitas empresas implementam políticas específicas, como a cobrança de uma taxa de cancelamento ou a exigência de um pagamento antecipado não reembolsável. Essas medidas visam compensar a potencial perda financeira e incentivar os clientes a cancelar suas reservas com antecedência, permitindo que a empresa disponibilize o espaço ou serviço para outros interessados.

3. Day Use

Você já ouviu falar do "day use"? Esta prática não se limita apenas aos hotéis, mas também é oferecida em resorts e até mesmo em alguns restaurantes. O "day use" permite que você utilize as instalações por um período determinado, geralmente entre 6 e 12 horas durante o dia, sem a necessidade de pernoitar.

É uma solução versátil e conveniente para viajantes em trânsito, profissionais que precisam de um espaço tranquilo para trabalhar entre compromissos, ou simplesmente para quem deseja desfrutar de um dia de lazer em um ambiente confortável.

Além dos quartos, alguns estabelecimentos oferecem acesso a serviços adicionais como piscina, spa e opções de alimentação.

Explorar o "day use" não só amplia suas opções ao planejar itinerários ou atividades, mas também proporciona uma experiência econômica e prática para momentos específicos de descanso ou trabalho longe de casa.

4. Check-in 

Quando um turista chega ao seu destino antes do horário de check-in no hotel ou início do passeio, a ansiedade para começar a aproveitar a viagem é grande, não é mesmo?

O "check-in" é o processo pelo qual o turista formaliza sua chegada e recebe instruções sobre o início da atividade planejada. Para aqueles que chegam antes do horário previsto, existe a opção do "early check-in", permitindo que você comece a desfrutar da experiência mais cedo mediante o pagamento de uma taxa adicional. 

Essa opção é especialmente conveniente para famílias que desejam descansar após uma longa viagem ou para viajantes que querem otimizar seu tempo no destino.

Compreender o processo de check-in e as opções disponíveis é essencial para garantir uma experiência tranquila desde o momento da chegada, seja em um hotel ou em um passeio planejado.

termos do turismo para nortear a atuação profissional

5. Check-out

O "check-out" é o procedimento no qual o turista encerra sua estadia no hotel, liberando o quarto para o próximo hóspede. Esse momento marca o término oficial da ocupação e geralmente inclui a liquidação de despesas adicionais ou pendentes.

Além dos hotéis, agências de passeios e city tours também utilizam o "check-out" na relação.

Para aqueles que necessitam de mais tempo, seja por um atraso no voo ou algum outro motivo, o "late check-out" permite que o turista permaneça no hotel por algumas horas adicionais após o horário regular de saída.

No entanto, é recomendável solicitar o "late check-out" com antecedência para garantir disponibilidade. Em algumas circunstâncias, é possível requisitar no próprio dia da partida, dependendo da disponibilidade do estabelecimento ou da agência de turismo, e mediante o pagamento de uma taxa adicional.

6. All Inclusive

O conceito de "all inclusive" diz respeito a serviços turísticos que englobam todos os serviços essenciais em um único valor, eliminando surpresas e custos adicionais para os turistas.

Ideal para quem busca praticidade e previsibilidade financeira durante a viagem, o "all inclusive" inclui não apenas hospedagem e refeições (café da manhã, almoço e jantar), mas também bebidas, lanches, e diversas atividades de lazer e entretenimento. Isso pode incluir acesso a piscinas, spas, esportes aquáticos, shows noturnos e excursões locais.

Agências de passeios e operadores turísticos que oferecem pacotes "all inclusive" garantem aos viajantes uma experiência conveniente e relaxante, onde todos os detalhes estão cuidadosamente planejados e incluídos no preço do pacote. Ele se destaca como uma opção atraente para famílias, grupos e casais que desejam aproveitar ao máximo suas férias com conforto e conveniência.

7. Rate 

No turismo, o termo "rate" se refere à tarifa, ou seja, ao preço de um serviço específico oferecido aos turistas.

Os "rates" podem variar amplamente conforme a temporada, demanda, tipo de acomodação, localização e serviços adicionais disponíveis. Por exemplo, os preços podem ser mais altos durante períodos de alta temporada ou eventos locais, e mais baixos em épocas de menor demanda.

Ao planejar itinerários ou recomendar serviços aos clientes, é essencial considerar não apenas os "rates" disponíveis, mas também as políticas de cancelamento e os benefícios adicionais oferecidos. Essa abordagem permite uma experiência de reserva transparente e satisfatória, ajudando os turistas a fazer escolhas informadas que atendam às suas expectativas e necessidades durante a viagem.

O Paytour é mais que um e-commerce turismo

8. Yield Management

O "yield management", ou gerenciamento de receita, é uma estratégia fundamental utilizada por empresas de turismo para otimizar seus lucros e garantir máxima rentabilidade.

Essa técnica envolve ajustar os preços dos serviços de acordo com a demanda variável, com o objetivo de maximizar a receita em todos os momentos. É uma prática essencial para companhias aéreas, hotéis e outras empresas do setor, que enfrentam flutuações significativas na demanda ao longo do tempo.

Além de maximizar a receita, o "yield management" também visa aprimorar a experiência do cliente, oferecendo preços competitivos e acessíveis durante períodos de menor demanda e valorizando serviços premium em períodos de alta procura.

9. Upselling

O "upselling" é uma estratégia eficaz também empregada por agências de passeios e parques de diversão para aumentar o valor da compra dos clientes, oferecendo experiências adicionais que enriquecem sua visita.

Por exemplo, ao reservar um passeio guiado em uma agência de turismo, os clientes podem ser oferecidos upgrades para excursões VIP com acesso exclusivo a áreas restritas ou experiências gastronômicas personalizadas durante o tour. Além disso, a agência pode propor pacotes que incluam atividades extras, como passeios de barco ou eventos culturais locais, enriquecendo a experiência turística.

Ao adotar estratégias de "upselling", agências de passeios e atividades de lazer não apenas melhoram suas vendas, mas também elevam o nível de satisfação dos clientes ao oferecer opções que adicionam valor à experiência turística planejada.

10. Cross-selling

Similar ao "upselling", o "cross-selling" é uma estratégia eficaz empregada por empresas de turismo para aumentar as vendas, oferecendo produtos ou serviços complementares aos que o cliente já adquiriu.

Por exemplo, um guia de turismo pode oferecer serviços adicionais durante a reserva de um city tour, como tours privativos, ingressos para atrações locais ou pacotes de experiências gastronômicas. Essa prática não apenas amplia a receita do guia, mas também proporciona aos clientes a oportunidade de personalizar sua experiência turística de acordo com seus interesses específicos.

O "cross-selling" é crucial para oferecer uma experiência turística completa e sob medida. Ao oferecer serviços adicionais que complementam o passeio principal, os guias não apenas aumentam o valor percebido pelos clientes, mas também fortalecem a relação com eles, proporcionando opções que agregam valor à sua viagem.

Você já conhecia algum desses termos?

Conhecer esses termos possibilita aos profissionais do turismo gerenciar melhor suas operações, ajustar estratégias de acordo com a demanda sazonal, oferecer experiências personalizadas que encantam os clientes e, consequentemente, aumentar a rentabilidade dos negócios. 

Além disso, estar familiarizado com esse vocabulário permite uma adaptação mais rápida às mudanças do mercado e às novas tendências da indústria. É a prática da aprendizagem contínua.

Você já conhecia algum desses termos? Mande o seu feedback para a gente no Instagram! Vamos adorar trocar uma ideia contigo.

Compartilhe esse post
Irineu do Paytour
Irineu do Paytour
Analista de Marketing e Comunicação do Paytour.

Outros artigos que separamos para você

7 vantagens do e-commerce para o seu atrativo turístico

Investir em um e-commerce próprio ~pode trazer uma série de vantagens para quem vende atrativos turísticos. Confira as 7 principais nesse artigo.

LEIA MAIS →

Saiba mais sobre o funcionamento e a importância da ABGTur

As ações da ABGTur (Associação Brasileira dos Guias de Turismo) são voltadas ao fomento do turismo e ao auxílio a profissionais autônomos.

LEIA MAIS →

Seguro aventura no turismo: o que é e quais os benefícios?

Saiba mais sobre essa modalidade de seguro que leva benefícios para turistas e profissionais.

LEIA MAIS →

Avaliações

Credenciado

Credenciado

Aceleração

Desenvolvido por Paytour

Vende passeios, atividades ou atrativos turísticos?